ARTIGO

VPPB e vitamina D: qual é a associação?

COMPARTILHAR
Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Email

Nos últimos anos tem se visto um interesse crescente na vitamina D e na sua importância e relação com diferentes funções e doenças, incluindo a vertigem posicional paroxística benigna. Os dados porém ainda mostram alguma controvérsia, e a maioria dos autores concorda que são necessárias mais pesquisas. Mas o que se sabe?

Em 2003 surgiu um trabalho que identificou que osteopenia e osteoporose estão associadas a VPPB, (1) o que foi confirmado posteriormente. O que nenhum dos dois trabalhos avaliou foi o impacto do tratamento destas condições na ocorrência ou recorrência de VPPB (2).

Ou seja, sabemos que osteopenia e osteoporose estão associadas a VPPB, mas não sabemos se o tratamento destas condições diminui o risco de ocorrência ou de recorrência da VPPB.

A observação de que a osteoporose e a osteopenia estavam associadas e VPPB, e o conhecimento de que a vitamina D é necessária para o metabolismo ósseo adequado foi uma das premissas para estudar a associação entre vitamina D e VPPB. A outra premissa foi o conhecimento de que a vitamina D regula o metabolismo do cálcio na endolinfa. Sabe-se que a redução dos níveis de cálcio na endolinfa leva a dissolução dos otólitos, o que não é observado quando o nível de cálcio é normal. Portanto, a deficiência de vitamina D poderia alterar o metabolismo do cálcio na endolinfa e por consequência levar à VPPB.

Nesta linha de pesquisa, um estudo observou que níveis de vitamina D < 20ng/ml estavam associados a VPPB idiopática e foi um dos primeiros a sugerir que a deficiência de vitamina D poderia ser fator de risco para VPPB. Dois estudos subsequentes no entanto, observaram que os níveis de vitamina D em pacientes com VPPB poderiam ser diminuídos, mas não diferiam dos níveis da população geral. Estes mesmos estudos também observaram que em indivíduos com VPPB recorrente os níveis de vitamina D eram ainda menores, e concluíram que a deficiência de vitamina D poderia ser um fator de risco apenas para VPPB recorrente. (3) (4).

E mais recentemente, três meta-análises recente trouxeram mais clareza a todos estes dados e estudos, e concluíram que: os níveis de vitamina D são reduzidos em pacientes com VPPB, especialmente naqueles com VPPB recorrente (5). níveis de vitamina D menores que 20ng/ml é fator de risco independente para VPPB (5) deficiência de vitamina é fator de risco para ocorrência e recorrência de VPPB (6)(7).Em relação à suplementação da vitamina D na prevenção de VPPB os dados sugerem um benefício, embora não sejam conclusivos. Uma meta-análise observou benefício da reposição de vitamina D com ou sem reposição e cálcio associado na recorrência de VPPB, mas houve muita heterogeneidade entre os estudos analisados (8). E um artigo recente observou que a suplementação de vitamina D e carbonato de cálcio foi capaz de reduzir a recorrência de VPPB, em especial naqueles pacientes com nível sérico de vitamina D menor que 20ng/mL. Este estudo, no entanto apesentou algumas limitações como não ter sido duplo cego e a avaliação de muitos pacientes ter sido por telefone (9).

A prática clínica na opinião de especialista

Os dados mostram uma associação entre deficiência de vitamina D e VPPB, e de uma forma um pouco mais robusta nos casos de VPPB recorrente. Então, talvez seja importante dosar os níveis de vitamina D em pacientes com VPPB recorrente. Uma vez identificada a deficiência de vitamina D o paciente deve ser tratado, visto os benefícios para a saúde como um todo e esta reposição pode diminuir o risco de recorrência da VPPB.

Referências
  1. Vibert D, Kompis M, Häusler R. Benign paroxysmal positional vertigo in older women may be related to osteoporosis and osteopenia. Ann Otol Rhinol Laryngol [Internet]. 2003;112(10):885–9. (link)
  2. Jeong SH, Choi SH, Kim JY, Koo JW, Kim HJ, Kim JS. Osteopenia and osteoporosis in idiopathic benign positional vertigo. Neurology. 2009;72(12):1069–76. (link)
  3. AlGarni M, Mirza A, Althobaiti A, Al-Nemari H, Bakhsh L. Association of benign paroxysmal positional vertigo with vitamin D deficiency: a systematic review and meta-analysis. Eur Arch Oto-Rhino-Laryngology. 2018; Nov;275(11):2705-2711. (link)
  4. Büki B, Ecker M, Jünger H, Lundberg YW. Vitamin D deficiency and benign paroxysmal positioning vertigo. Med Hypotheses. 2013 Feb;80(2):201-4. (link)
  5. Yang B, Lu Y, Xing D, Zhong W, Tang Q, Liu J, et al. Association between serum vitamin D levels and benign paroxysmal positional vertigo: a systematic review and meta-analysis of observational studies. Eur Arch Oto-Rhino-Laryngology [Internet]. 2020;277(1):169–77.
  6. Chen J, Zhao W, Yue X, Zhang P. Risk factors for the occurrence of benign paroxysmal positional vertigo: A systematic review and meta-analysis. Front Neurol. 2020;11(June):1–12. (link)
  7. Chen J, Zhang S, Cui K, Liu C. Risk factors for benign paroxysmal positional vertigo recurrence: a systematic review and meta-analysis. J Neurol [Internet]. 2020;(0123456789).(link)
  8. Jeong SH, Lee SU, Kim JS. Prevention of recurrent benign paroxysmal positional vertigo with vitamin D supplementation: a meta-analysis. J Neurol. 2020 Aug 7. (link)
  9. Jeong SH, Kim JS, Kim HJ, Choi JY, Koo JW, Choi KD, Park JY, Lee SH, Choi SY, Oh SY, Yang TH, Park JH, Jung I, Ahn S, Kim S. Prevention of benign paroxysmal positional vertigo with vitamin D supplementation: A randomized trial. Neurology. 2020 Sep 1;95(9):e1117-e1125. (link)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja mais

Para médicos
Cristiana Pereira
VPPB